Curso de Sommelier Profissional – Aula Tipos de Uvas Viníferas

Olá EnoAmigos do #VinhoTodoDia

Nesse artigo você encontrará as principais informações que nos foi passado na Aula – Tipos de Uvas Viníferas do Curso de Sommelier Profissional. Aprendemos sobre as principais uvas viníferas internacionais, suas nacionalidades e diversas curiosidades sobre elas.

A cada aula que estudamos o nosso amor pelo vinho aumenta ainda mais. O universo do vinho é muito rico em histórias e curiosidades. Compartilhar com você tudo que aprendemos é uma forma de aprender ainda muito mais.

Então, bora estudar degustando vinho!

curso de sommelier vinho todo dia img1
Veja alguns momentos da nossa aula no Curso de Sommelier Profissional

 

Aula 03 – As principais Uvas Vitis Viníferas do mundo.

 

As uvas se dividem em duas espécies, as não viníferas e as viníferas.

A primeira espécie, as uvas não viníferas, são conhecidas como uvas americanas, aquelas que compramos em supermercados ou feiras livres para consumo próprio, ou para fazermos suco. com elas também se faz vinho, porém sem muita qualidade, como os conhecidos vinhos de garrafão.

Já a segunda espécie, as uvas viníferas, são as mais apropriadas para a produção de vinhos finos. Hoje em dia já existe catalogadas mais de 5.000 tipos dessas uvas.

Os aromas e sabores dos vinhos variam de acordo com a região, clima, tipo de solo, armazenamento e claro, da variedade da uva plantada. Por isso, é muito importante conhecer pelo menos um pouco sobre as espécies de uvas antes de escolher o vinho que você quer comprar.

Existem uvas brancas, tintas, uvas com casca grossas ou finas. Algumas são resistentes ao calor, outras ao frio, algumas são frágeis, outras produzem bastante açúcar e outras são bastante ácidas.

Logo abaixo nesse artigo, escrevemos sobre as principais características das uvas viníferas brancas e tintas cultivadas ao redor do mundo, mas antes, veja algumas outras curiosidades que aprendemos nessa aula:

 
  • A ciência já tem vestígios que comprovam que a uva Shiraz é a mais antiga encontrada do mundo.
  • Existem mais de 5000 tipos de uvas viníferas no mundo
  • A folha é a impressão digital da uva. Cada uva tem a sua própria folha.
  • Mosto é formado pela mistura da casca, do caroço e da polpa da uva.
  • A uva Merlot é a uva mais cultivada na região de Bordeaux na França.
  • Em cada fermentação é possível prensar a uva por 3 vezes, produzindo 3 níveis de vinhos.
  • Uvas Emblemáticas são aquelas originárias de um determinado país, mas que se adaptaram muito bem em outro país. Tipo as francesas Malbec na Argentina e a Tannat no Uruguai.
  • Monovarietal – é um tipo de vinho produzido com apenas um tipo de uva.
  • Varietal – é um tipo de vinho produzido com 75% de uma uva só e com outros tipos de uvas.
  • Assemblage é conhecido como Blend ou Corte que é a mistura de diferentes varietais para otimizar o produto final.
  • Reservado é vinho produzido através da terceira prensa do mosto.

Conheça agora as principais uvas tintas cultivadas no mundo para a produção de vinhos finos.

Cabernet Sauvignon – contém aromas de cereja, amora, pimentão, cassis, menta, eucalipto e especiarias como pimenta preta e alcaçuz. Ela é o resultado do cruzamento natural de duas uvas, a Cabernet Franc e a Sauvignon Blanc, por isso o nome Cabernet Sauvignon. Ela é originária da região de Bordeaux na França, e cultivadas em diversos países. Os principais produtores são França, itália, Chile, Estados Unidos e Austrália. Com ela se produz vinhos tintos secos encorpados, com taninos médios e altos, e sua acidez também é considerada de médio para alto. Sua harmonização é perfeita com carnes vermelhas, pizza de calabresa, hambúrguer e alguns tipos de queijos duros como o provolone.

Merlot – É considerada a uva mais cultivada em Bordeaux, na França. Encontramos aromas de frutos vermelhos tipo ameixa, cereja e framboesa, aledrim, orégano, e especiarias como cravo, canela e noz-moscada. Sua acidez é média e se produz vinhos tintos seco de corpo e taninos médios. Os principais produtores  são a França, itália, Chile, Estados Unidos e Brasil, onde ela se adaptou mundo bem e é considera como a uva representante do vinho brasileiro. Sua harmonização fica perfeita com carnes vermelhas magras, frango, massa com molho vermelho e queijos moles. Uma curiosidade é que seu nome é derivado de um pequeno pássaro preto chamado Merlo, que é atraído pelo seu sabor em épocas de colheitas.

Malbec – Contém aromas de cereja preta, ameixa e amora, violeta, chocolate, couro e algumas especiarias. Com ela se produz vinhos tintos encorpados de taninos médios altos e acidez média para alta. Podemos harmonizá-los com churrasco, pizza de calabresa e queijos duros. É uma uva originária da França, mas devido a grandes pragas foi extinta por lá e hoje é considerada a grande uva emblemática da Argentina, cultivada na região de Mendoza. Existe até um dia especial para ela, conhecido como o Malbec day, comemorado no dia 17 de Abril.

Carmenère – Tem aromas frutados, notas de café, chocolate e pimentão verde. É uma uva originária da região de Bordeaux na França, mas que também foi praticamente extinta devido a Filoxera, uma famosa praga dos vinhedos. Muitos pensavam que ela já tinha desaparecido do mapa, porém, ela foi descoberta no Chile, onde era plantada como se fosse a uva Merlot. A redescoberta foi feita pelo enólogo francês Jean-Michel Boursiquot, que através das folhas e outros estudos percebeu que se tratava da uva perdida de Bordeaux. Sua harmonização fica perfeita com carnes vermelhas de pouco gordura, cordeiros, massas com molhos condimentados e queijo parmesão.

Syrah – É considerada, segundo estudos, como a uva mais antiga do mundo. Contém aromas de frutas maduras escuras como amora e ameixa, especiarias como pimenta do reino, cravo e canela. Com ela se produz vinhos equilibrados e profundo de tons escuros com bons taninos presentes. Ela é conhecida como Syraz nos países do novo mundo como a Austrália. Uma curiosidade é que seus vinhos podem ser envelhecidos por até meio século. Os vinhos feitos com a uva Syrah harmonizam muito bem com comidas de sabores intensos, assados de cordeiros, carnes bovinas, aves e queijos amarelos.

Pinot Noir – é uma uva tinta mas também muito utilizada para fazer vinho branco e champanhe. Seus aromas são de frutas vermelhas tipo cereja, framboesa e morango, cogumelos, cravo e alcaçuz. Com ela se produz vinhos de cor pálida com taninos e corpo bem leves. Sua acidez é média para alta. Os principais produtores Borgonha e Champagne na França, Nova Zelândia e Chile. Harmoniza muito bem com frango, risoto, pizza de cogumelos, carnes vermelhas magras, queijos moles.

Conheça também outras uvas tintas que produzem vinhos excelentes e muitos apreciados em todo o mundo:

Tannat – É uma uva emblemática do Uruguai de origem uva francesa. Tannat quer dizer tanino em francês.
Tempranillo – É uma uva originária da Espanha e que tem muitos nomes diferentes em outros países, como Tinta Touro, Tinta Ruiz, Aragonês, Rioja e outros.
Touriga nacional – A grande uva de Portugal.
Gamay – Uma uva francesa, coadjuvante na região da Borgonha.
Grenache – Uma uva francesa também chamada de Garnacha na Espanha.
Sangiovese – A grande uva da região da Toscana na Itália.
Pinotage – É uma uva originária da África do sul. Ela é resultado de um cruzamento feito em laboratório através das uvas Pinot Noir e Cinsault . É também muito conhecida por Hermitage.
Cinsault – É uma uva francesa que tem oficialmente 102 nomes diferentes pelo mundo.
Nebiolo – É uma uva tinta originária do noroeste da Itália, na região do Piemonte.

E agora chegou a hora de conhecer as principais uvas brancas cultivadas no mundo para a produção de vinhos finos.

Chardonnay – É a francesa queridinha das uvas brancas. tem uma grande variedade de aromas, como frutas tropicais tipo abacaxi, banana e pêssego, frutos verdes e cítricos tipo pera e maçã verde, além de especiarias, baunilha, e quando é envelhecido em barricas de carvalho conseguimos perceber também o aroma de coco. Produz vinhos de corpo média a encorpado com acidez média, quando é cultivada em regiões de clima quente e acidez alta, quando é cultivada em regiões de clima frio. É a uva branca mais indicada para amadurecer em barricas de carvalho. Além dos vinhos brancos, ela é muito usada para a produção grandes champanhes e espumantes. Ela harmoniza muito bem com frutos do mar, aves, massas e queijos moles tipo brie e camembert.

Sauvignon Blanc – Produz vinhos de corpo leve a médio com acidez entre média e alta. Nela encontramos aromas de maracujá, maçã verde, pêssego e pimentão verde. Sua origem é francesa e hoje é cultivada em diversos países do mundo, o que lhe confere vinhos com uma enorme variedade de estilos, aromas e sabores.

Pinot Grigio – Assim ela é chamada na Itália, e jã na França ela é chamada de Pinot Gris. Sua origem é italiana e francesa. E hoje, os Estados Unidos é um dos grandes produtores mundiais, e ela é muito apreciada por lá nas regiões americanas de climas quentes. É uma uva pouco aromática, onde encontramos aromas leves de mel e especiarias. Com ela se produz vinhos de corpo leve e acidez alta. Sua harmonização fica perfeita com pratos leves, peixes, massas com molho de tomate e manjericão, e também é muito indicada para acompanhar pratos da culinária japonesa como Sushi e Sashimi.

Riesling – É considerada uma das uvas mais aromáticas do mundo. Seus principais aromas são pera, maçã verde, pêssego, damasco, flores brancas e mel. Com ela se produz vinhos leves, refrescantes e com acidez alta. Sua origem é da região da Alsácia na França, mas foi na Alemanha que ela ficou muito reconhecida. É uma uva rosada muito usada para a produção de vinhos secos, rosés e até vinhos doces. Harmoniza muito bem com carnes suínas, frango, peru e caranguejo. Ela também é cultivada em diversos outros países do mundo como Austrália, Áustria e Suíça.

Moscato – Assim ela é chamada na Itália, mas também é conhecida como Muscat em países de língua inglesa e Moscatel na Espanha e em Portugal. É reconhecida como uma das uvas mais antigas do mundo. Seus principais aromas são de uva madura, mel, pêssego, damasco e florais. Ela quando madura acumula uma grande quantidade de açúcar em seus frutos. É possível produzir vinhos secos, aromáticos, frutados, espumantes e até vinhos de sobremesa. Ela harmoniza muito bem com pratos leves tipo frutos do mar e peixes.

Alvarinho – Como é conhecida em Portugal e Albariño na Espanha. É a grande uva da região do Minho em Portugal, onde se produz os famosos vinhos verdes. Com ela se produz vinhos leves, refrescantes, com boa acidez, levemente frizante, com baixo teor alcoólico e para serem degustados ainda jovens. Possui aromas intensos como maracujá, pêssego, marmelo, banana, floral e mel. Harmoniza perfeitamente com frutos do mar e com o nosso calor brasileiro.

Conheça também outras uvas brancas que produzem vinhos excelentes e muitos apreciados em todo o mundo:

Aligoté – É uma uva que na região de Borganha, na França, é cultivada ao lado da uva Chardonnay. Ela produz vinhos secos, leves e bastante aromáticos. São perfeitos para serem degustados jovens.
Chenin Blanc – É cultivada na França, na região do Vale do Loire e é considerada com uma das melhores uvas brancas do mundo. Produz vinhos brancos com ótima estrutura e acidez, com capacidade para envelhecer durante décadas.
Moscadelle – É uma uva francesa da região de Bordeaux, utilizada para produzir vinhos finos intensos. E na Austrália para a produção de vinhos doces de sobremesa. Os vinhos secos harmonização perfeitamente com caranguejo e os de sobremesa com vegetais.
Torrentes – Uma uva espanhola da região de Galiza, muito cultivada também na Argentina (onde se tornou um ícone), Portugal e Bulgária. Com ela se produz vinhos bastante frutados para serem degustados ainda jovens. Na boca eles são intensos e refrescantes.
Macabeo – É a uva mais cultivada na região Rioja na Espanha. É a principal uva do famoso espumante espanhol Cava. É uma das uvas brancas mais prestigiadas no mundo. Ela tem ótima acides, um sabor leve e bastante aromático.
Gewirstraminer – Alguns dizem que ela tem origem italiana, enquanto outros dizem que veio da Grécia. Hoje ela é cultivada no Velho e Novo Mundo. Mas as melhores uvas da casta são cultivadas na da região da Alsácia, na França e em Pfalz, na Alemanha. Em suas características aromáticas conseguimos sentir lichia, rosas e manga.

Wow! Esse universo do vinho é realmente encantador. Cada uva várias histórias, cada região mais histórias…é muito interessante estudar sobre isso tudo!

curso de sommelier vinho todo dia img2
Veja mais alguns momentos da nossa aula no Curso de Sommelier Profissional
E para finalizar mais um artigo sobre as aulas do Curso de Sommelier Profissional ministrado pelo Professor Franklin Pinheiro, vamos aos rótulos degustados e estudados em sala de aula. Dessa vez foi um Vinho Português e dois Vinhos Chilenos.
curso de sommelier vinho todo dia img3
1 Vinho Português e 2 Vinhos Chilenos foram degustados em sala de aula.
1 – Península de Lisboa 2014 – Vinho regional de Lisboa. Sua cor é rubi intenso, com aromas a frutos vermelhos maduros, especiarias e notas de baunilha. Ele é muito macio na boca e tem um final de prova suave e persistente.
2 – Emiliana Adobe Reserva Chardonnay 2016 do Valle Casablanca no Chile – No nariz, apresenta aroma de frutas. Na boca, o vinho é fresco com bom equilíbrio e acidez. Final é persistente e agradável.
 
3 – Gran Tarapacá Reserva Sauvignon Blanc 2017 do Valle Casablanca no Chile – No nariz apresenta aromas de frutas brancas, notas de ervas e toque cítrico.Esse vinho branco é leve e com boa acidez.
 
Sempre é uma uma aula incrível! Dá para imaginar?!
Se por acaso estiver nascendo em você aquela vontade de também fazer um Curso de Sommelier Profissional, envie pra gente uma mensagem inbox e receba mais informações importantes.
 
Vamos estudar degustando vinho!
 
#estudarvinhoéfácil #aprendamaissobrevinhos #cursodesommelier